Certas desculpas não auxiliam você a ter uma mentalidade muito produtiva. Aqui está o que você nunca deve repetir mentalmente no trabalho ou durante o processo de inscrição.

 

“Não posso lidar com isso”.

 

Dizer “eu não posso” certamente não faz com que seus talentos sejam realçados. Parece que você está se aproximando das coisas com uma atitude derrotista, ao invés de trabalhar para encontrar uma solução para o que está acontecendo.

Em vez de simplesmente dizer “eu não posso”, tente pensar em algo que você pode fazer em seu lugar, ou admita que você não tem conhecimento ou experiência para fazer algo e recomendar alguém que possa ser uma melhor ajuda.

 

“Eu não tenho tempo”.

 

O tempo é o nosso bem mais valioso. Embora tenhamos apenas 24 horas por dia, podemos fazer neste tempo as coisas que queremos, ver as pessoas que queremos ver, atividades que queremos fazer, etc. A única coisa que fica no caminho são desculpas.

 

“Desculpa, estou atrasado.”

 

Depois de acordar até tarde pela terceira vez desta semana, você se põe no carro, pisa no acelerador e vai trabalhar atrasado pela enésima vez.

Quando você está atrasado para uma consulta e você se ouve dizendo: Me desculpe, estou atrasado, mas o trânsito foi assassinato. Não faça isso, evite as desculpas. Culpar o tráfego não justifica o fato de alguém precisou ficar esperando você quando as coisas poderiam ter sido resolvidas com mais facilidade se você apenas tivesse saído mais cedo de casa. Assim, você certamente não terá que se desculpar com: “Desculpe, eu saí cedo e o tráfego estava fluindo bem. Se o mundo funcionasse assim, não haveria desculpas.

 

“O meu currículo vai cair em um buraco negro online, então não vou nem me mexer”.

 

Esta é uma desculpa usada com frequência por candidatos a emprego, Isso é como perder um jogo de futebol por nem mesmo aparecer. Você depende apenas de você mesmo para participar de qualquer seleção, e pensar que “não” apenas atrapalha o processo. Em seleções virtuais, o sistema de rastreamento do candidato será inundado com currículos vinculados a cada vaga de trabalho específica, mas isso não significa que você não deve se inscrever.

Embora isso ajude a ter um encaminhamento para que seu currículo seja marcado de forma diferente no sistema para que os recrutadores possam detectar facilmente, não desista. Definitivamente se aplica.

 

“Esse não é o meu trabalho”.

 

Este é um clássico.

Esta é uma das desculpas em que as “pessoas improdutivas” dependem para justificar seu baixo rendimento, e assim atribuem para terceiros coisas que poderiam desenvolver com facilidade. Porém, existem pessoas que realmente mantêm as coisas em movimento no trabalho não caem nessa armadilha.

O curioso, então, é que as pessoas realmente improdutivas sempre parecem notar quando estão fazendo um trabalho extra para ajudar um projeto. Eles se concentram em seu papel demais e no que todos os outros não estão fazendo.

As pessoas verdadeiramente produtivas não se importam se estão fazendo algo extra. Eles apenas fazem o que for preciso para fazer as coisas e avançarem, analisando as definições de função exatas mais tarde. Isso não significa trabalhar por inúmeras horas extras sem remuneração, e sim perceber os momentos de necessidade de seu trabalho e se adaptar para uma outra função que seja necessária naquele momento.

 

Imagem cortesia: Pixabay