Comece a criar segmentos de lista com base nas ações que os usuários não realizam.

 

Foi comprovado que a segmentação de marketing por e-mail impulsiona os resultados da campanha e, graças aos modernos recursos de automação, é mais fácil do que nunca segmentar listas de e-mail e enviar mensagens altamente segmentadas para pessoas com base em dados demográficos, psicográficos e comportamentais. À medida que essas ferramentas se tornam mais sofisticadas e oferecem integrações mais profundas entre ferramentas, sites, plataformas de mídia social, carrinhos de compras, etc., o potencial de segmentar o público-alvo usando dados comportamentais exclusivos aumenta.

Embora a maioria dos profissionais de marketing se concentre em comportamentos ativos do consumidor, como visitas a páginas da Web e envio de formulários de inscrição, há uma oportunidade significativa para as empresas se conectarem com o público, acompanhando comportamentos mais passivos ou inativos. Aqui estão exemplos de inação comuns do consumidor em que você pode desenvolver estratégias de e-mail marketing para gerar resultados positivos.

 

  1. Nenhuma compra feita.

 

Se alguém dedicar algum tempo a demonstrar interesse em seu produto, mas não comprar, será necessário fazer outro esforço para fechar a venda. Ao configurar uma campanha automatizada de mensagens de e-mail acionada para enviar quando alguém mostra um comportamento que mostra que está interessado em seu produto, mas que não compra, você terá a oportunidade de nutri-lo e motivá-lo a agir e concluir a ação.

 

  1. Nenhum e-mail é aberto.

 

Sempre que uma pessoa na sua lista de e-mail opta por não abrir suas mensagens, isso pode afetar negativamente a capacidade de entrega geral. É por isso que é importante configurar campanhas de e-mail automatizadas que limpam sua lista continuamente.

Por exemplo, você pode configurar uma campanha para remover todos os contatos que não abriram uma mensagem nos últimos três a seis meses. Além de limpar sua lista de e-mails com base em um comportamento ausente (ou seja, abrir suas mensagens), você também pode usar os dados para refinar suas estratégias de segmentação psicográfica. Se um destinatário abrir todas as suas mensagens, exceto aquelas sobre um serviço específico, você poderá usar esses dados para entregar mensagens mais relevantes no futuro.

 

  1. Nenhum clique de e-mail.

 

Uma das métricas que os profissionais de marketing acompanham como indicador do sucesso de uma campanha de e-mail é a taxa de cliques. Mas se você fizer engenharia reversa desse indicador de desempenho e acompanhar quando os destinatários não clicarem, obterá informações ainda mais valiosas. Ao focar em quem não está clicando, você pode acompanhar os contatos que podem ter perdido algo importante e dar a eles outra chance de exibir o comportamento desejado.

Essa métrica é apenas mais uma peça para ajudá-lo a criar perfis de consumidores, para que você possa enviar as mensagens mais relevantes possíveis para o seu público e reduzir o cansaço de e-mail da sua marca.

 

  1. Não há compras repetidas.

 

Você tem clientes que nunca fizeram uma segunda compra ou não fizeram uma compra em meses? O e-mail é uma ferramenta perfeita para campanhas de recuperação, mas você precisa acompanhar quem parou de comprar para iniciar uma. Quando alguém comprar de você pela primeira vez, inicie uma campanha de e-mail automatizada dentro de algumas semanas se ele ainda não tiver feito uma segunda compra (ou mais, dependendo do ciclo de vendas e compras da sua empresa).

A mensagem pode incluir uma oferta especial para motivá-los a comprar novamente. Você pode agendar uma mensagem de retorno semelhante para ser enviada a clientes inativos trimestralmente ou qualquer que seja a programação que corresponda ao seu modelo de negócios.

 

O e-mail é muito poderoso, mas ainda mais quando você cria campanhas automatizadas com base na segmentação estratégica.

 

Imagem cortesia: Pixabay