A nova década pode trazer grandes mudanças nas tendências tradicionais da força de trabalho.

 

Na última década, a força de trabalho mudou de maneiras que muitos profissionais de negócios jamais poderiam imaginar. A onipresença de dispositivos inteligentes e conectividade à Internet significa que mais empresas do que nunca estão contratando de um pool de talentos nacional e até global, pois as pessoas podem fazer seu trabalho de qualquer lugar do mundo.

As tecnologias de mudança rápida também revolucionaram certos processos de contratação e funções de RH desatualizados, levando a uma força de trabalho que é simultaneamente distribuída e constantemente conectada.

Agora, muitos líderes estão especulando sobre o que pode mudar na força de trabalho atual e em como pensamos no emprego. Pedimos a um painel de empreendedores que compartilhasse suas principais previsões sobre a aparência do trabalho em 2020 e além. Aqui estão as coisas que eles acreditam que vão mudar e se as veem como transições positivas ou negativas.

 

Mais opções de trabalho remoto

 

À medida que a tecnologia e os setores mudam e evoluem, mais pessoas têm a capacidade de trabalhar em casa ou fora do local convencional – e os funcionários desejam essa flexibilidade, diz Leila Lewis, fundadora e CEO da Be Inspired PR.

“Se as empresas querem permanecer competitivas ao atrair o candidato mais qualificado para um emprego, trabalhar remotamente, pelo menos em período parcial, terá que se tornar uma parte necessária do pacote”, acrescenta Lewis.

 

Maior dependência de tecnologia

 

A tecnologia se tornou um componente essencial de praticamente todos os negócios. Bryce Welker, CEO do Accounting Institute of Success, acredita que ela se tornará ainda mais profundamente incorporada nos processos de negócios e tarefas de trabalho, especialmente para os trabalhadores mais jovens.

“A geração Z vive em um mundo dominado pela tecnologia”, diz Welker. “Como resultado, eles abordarão a tecnologia como nativa, mas também sofrerão quando confrontados com tarefas de trabalho não relacionadas à ela”.

 

Maior conscientização da saúde mental

 

A conscientização da saúde mental está crescendo no local de trabalho. Thomas Griffin, cofundador e presidente da OptinMonster, diz que mais empresas perceberão a importância desse problema em 2020.

“As empresas estão começando a perceber que boa saúde mental é igual a funcionários com melhor desempenho”, diz Griffin. “Acho que mais empresas oferecerão ‘dias de saúde mental’ a seus funcionários para que eles possam descansar e recarregar as baterias”.

 

Semanas de trabalho mais curtas

 

O mundo dos negócios está agitado com o experimento bem-sucedido de quatro dias da Microsoft, realizado no Japão, neste verão. Com os impressionantes aumentos de produtividade, Nicole Munoz, fundadora e CEO da Nicole Munoz Consulting, Inc., suspeita que mais empresas adotem a mesma estrutura.

“Aumentará o potencial remoto e de mobilidade dos funcionários e reduzirá a quantidade de tempo desperdiçado nas reuniões”, diz Munoz.

 

Mais diversidade nas organizações

 

Com o aumento de empregos remotos, Blair Williams, fundadora e CEO da MemberPress, acredita que haverá um aumento correspondente na diversidade dentro de uma organização. Isso, diz ele, afetará a forma como as empresas se comunicam, especialmente internamente.

“Esta é uma mudança positiva e fará com que os funcionários se sintam mais bem-vindos e confortáveis”, acrescenta Williams. “Isso também afetará a forma como as empresas interagem com os clientes e criará uma boa imagem de marca”.

 

Um foco maior na melhoria do ambiente geral do escritório

 

Stephanie Wells, fundadora do Formidable Forms, diz que 2020 trará uma ênfase maior em se sentir confortável, reservando recursos e sendo mais consciente do ambiente em geral no escritório.

“As pessoas da força de trabalho estão começando a dar mais importância ao meio ambiente no escritório”, explica Wells. “Mais empresas estão se voltando para menos uso de plástico e papel e implementando programas de sustentabilidade que ajudam o planeta”.

 

Maior uso de inteligência artificial

 

A crescente popularidade da IA para empresas não mostra sinais de desaceleração. Jared Weitz, CEO da United Capital Source Inc., diz que essa tecnologia vai avançar mais como uma peça-chave na força de trabalho.

“Carreiras como as de analistas de pesquisa, revisores e recepcionistas estão lentamente deixando de existir enquanto a IA melhora”, diz Weitz. “Isso só vai continuar e se expandir para outros trabalhos enquanto os robôs se tornarem mais proficientes”.

Embora a IA represente uma mudança positiva em termos de eficiência e produtividade, Weitz observa que também pode ser vista como negativa porque o capital humano perde valor.

 

O desaparecimento das aspirações da ‘escada corporativa’

 

Décadas atrás, a maioria dos funcionários aspirava ingressar em uma empresa e subir a escada corporativa por toda a sua carreira. Segundo Solomon Thimothy, presidente da OneIMS, esse conceito está morrendo lentamente à medida que as atitudes das pessoas em relação ao trabalho mudam.

“Você não pode esperar que seus funcionários tratem sua empresa como sua única chance de carreira”, diz Thimothy. “Eles terão projetos paralelos e está tudo bem. Acho que é uma mudança positiva e precisamos incentivar o crescimento pessoal”.

 

Imagem cortesia: Pixabay