Muitas vezes, a emoção associada a receber a oferta de um novo emprego e aceitá-la, pode levar a uma decisão rápida demais.

 

O mercado de trabalho parece muito melhor ultimamente, e mais e mais ofertas estão sendo oferecidas aos candidatos. Alguns passam para novas posições em diferentes empregos enquanto outros estão em transição dentro da própria empresa. Em ambos os casos, aqueles que procuram emprego perdem a oportunidade se não adotarem uma abordagem holística para uma avaliação específica da nova oportunidade.

Muitas vezes, a emoção associada a receber a oferta de um novo emprego e aceitá-la, além da lisonja expressa por essa oferta de trabalho, pode levar a uma decisão rápida demais. É aconselhável primeiro fazer uma diligência meticulosa para evitar um erro possivelmente oneroso, porque várias perguntas precisam de respostas claras antes de você poder tomar uma decisão final. Aqui estão algumas.

 

  1. Quão importante, para você, é o conteúdo e o nível de responsabilidade do novo trabalho?
  2. O novo emprego se ajusta à sua personalidade?
  3. O estilo de gerenciamento do seu novo chefe se alinha com o seu?
  4. Existem oportunidades futuras de promoção?
  5. O novo emprego satisfará seu equilíbrio entre vida pessoal e profissional?
  6. O trajeto é aceitável?
  7. O volume de viagens de negócios esperado no novo emprego é aceitável?
  8. A compensação – na forma de salário e bônus – é aceitável?
  9. Oferece benefícios para os empregados, como seguro de saúde e planos especiais de aposentadoria?

 

Esta pode não ser uma lista completa, mas é um bom começo. As pessoas tomam decisões de vida com base em sua lógica e emoções. Os resultados são tipicamente um agregado dos dois. Alguém que está em transição há algum tempo é mais propenso a tomar decisões emocionais e, mesmo assim, o exercício de aceitar um novo emprego deve ser julgado pelo mérito do trabalho e sempre usando raciocínio lógico. Em situações como a aceitação de uma oferta de emprego, às vezes é útil discutir o assunto com um amigo ou, melhor ainda, com um profissional do ramo que lida com esses assuntos com freqüência.

Depois de considerar todos os detalhes da sua oferta, dê outra olhada no salário. É suficiente? Você prefere ganhar mais? Existe espaço para negociar? Se você não conseguir o salário desejado ou ao menos o mínimo necessário, isso vai ser um problema, independentemente de quão grandes sejam os benefícios. Se você não tiver certeza sobre o salário, considere a criação de um orçamento para que você saiba exatamente até onde seu salário vai se estender a cada mês.

Alguns pacotes de compensação são negociáveis, outros não. Uma das melhores maneiras de descobrir é pedir uma reunião para discutir a oferta. Dessa forma, você pode abordar cuidadosamente o empregador para ver de perto quanto espaço há para negociar uma oferta melhor. Além disso, há muitas razões diferentes para recusar uma oferta de emprego. Isso simplesmente pode não ser o trabalho certo para você. Ou o salário ou benefícios podem não ser o que você precisa. Não há nada de errado em dizer não, mas não se esqueça de recusar educadamente se você não for aceitar o trabalho.

Depois de tomar uma decisão sobre aceitar ou recusar a oferta, é hora de informar o empregador. Aproveite o tempo para formalmente aceitar ou recusar a oferta, e faça isso de forma educada e profissional para que você não queime quaisquer pontes com o possível empregador no futuro.

 

Imagem cortesia: Pixabay