Quando seu chefe faz algum funcionário se sentir mal, muitos de nós se revoltam e podem pensar que não aguentam, ou que não podem questionar. De acordo com o Workplace Bullying Institute, 65,6 milhões de funcionários dos Estados Unidos disseram que têm chefes que intimidam, humilham e abusam verbalmente deles.

Mas um novo estudo descobriu que existem estratégias de enfrentamento efetivas, que os funcionários podem usar para combater um chefe abusivo. Em vez de evitar passivamente o problema ou confrontar agressivamente o seu chefe, os pesquisadores de gerenciamento de negócios descobriram que os funcionários podem alavancar seu valor para os objetivos do chefe para resolver com tato o mau comportamento sem arriscar suas carreiras.

 

Estratégia 1: Faça-se indispensável para o seu chefe

 

Citando estudos sobre chefes abusivos, os pesquisadores explicaram que a opção passiva de se distanciar de seu chefe é menos efetiva porque o comportamento abusivo é mais provável de persistir do que parar. Os chefes que praticam bullying raramente mudam de forma repentina voluntariamente. Em vez de esperar que o milagre aconteça, os pesquisadores recomendam superar seu instinto de luta ou fuga trabalhando mais de perto com seu chefe que pratica bullying e aumentar seu valor para eles.

Como você faz isso? Você precisa trabalhar acima e além para aprender habilidades únicas que seu chefe não poderá conseguir de forma fácil em outro lugar. A estratégia é que o funcionário se torne indispensável ao líder, demonstrando conhecimentos, habilidades ou recursos específicos que são valiosos para o líder. Por exemplo, o seguidor pode tomar a iniciativa de adquirir uma nova habilidade ou obter informações críticas importantes para o líder.

Quando seu chefe depende de você, eles tornam-se motivados a mudar seu comportamento, não pela bondade de seus corações, mas por interesse próprio para manter sua equipe produtiva. Em dois estudos de campo sobre relações empregado-supervisor em uma empresa imobiliária e em um banco comercial, os pesquisadores descobriram que a alta dependência mútua entre gerentes e seguidores é caracterizada por interações positivas, uso reduzido de ameaças e coerção e, mais importante, maior estabilidade no relacionamento de trabalho.

Quando seu chefe sabe que precisa de você, ele se torna menos propensos a agir contra você e mais a ouvir suas necessidades.

 

Estratégia 2: junte-se com colegas de trabalho para enfrentar seu chefe

 

Os pesquisadores chamaram essa estratégia de “formação de coalizão”. Se você se sente vulnerável por ter um chefe que faz bullying, jogue o jogo de números e encontre aliados com melhores funcionários de seu escritório para defendê-lo.

Vários funcionários formando uma coalizão têm mais estrutura para enfrentar um chefe hostil, descobriram os pesquisadores: O líder pode confiar em um seguidor específico da equipe para conseguir resultados de desempenho importantes (por exemplo, promoção de vendas). Se o seguidor focal puder convencer um seguidor altamente valorizado a formar uma frente unida e coordenada contra o líder, o líder pode ver o seguidor focal como uma unidade com o seguidor valorizado.

 

Empregados com chefes negativos não são tão indefesos quanto pensam

 

Claro, lidar com o chefe abusivo não deve ser um problema apenas para funcionários, mas para toda a empresa. Mas este estudo deve dar esperança aos funcionários que sofrem silenciosamente que eles têm mais poder do que pensam. Ao invés de se verem como vítimas indefesas, os funcionários podem implantar táticas criativas como o aprimoramento de valor e a formação da coalizão para reduzir o abuso do supervisor, para que eles possam se concentrar em fazer seu trabalho real.

Tomados em conjunto, valorização e a formação da coalizão envia uma mensagem forte ao supervisor: “Você precisa de mais do que você pensa, então tome melhor cuidado comigo”.

 

Imagem cortesia: Pixabay