Ao longo do processo de criação de um negócio, inúmeras situações podem interferir no sucesso de seu estabelecimento (principalmente tendo em vista que em ramos como os bares e entretenimento, a simpatia e empatia tornam-se essenciais no trato com o cliente). Tal situação pode se tornar um problema se você, aspirante a proprietário, for uma pessoa introvertida.

Existem alguns passos que podem ser adotados neste processo de “desinibição”, e que pode auxiliar a você, pessoa tímida, a melhorar suas habilidades de comunicação e captação de pessoas.

office-1209640_1920

1º – Consiga um treinador/profissional da fala:

Pode parecer óbvio para você, mas isto de fato não é tão claro para a maioria das pessoas. Encontre alguém que consiga auxiliá-lo a desenvolver suas potencialidades, seja em fala ou escrita. Ninguém nasce com dons em todas as formas de expressão, e muitas vezes precisamos de um guia para identificar nossos pontos fortes e fracos e que auxilie no desenvolvimento deles.
2º – Ensaiar

Apesar de profissionais na área, os atores ensaiam, não é mesmo? Há um motivo para isso, pois apesar do talento, as pessoas precisam de prática no palco, sejam em como se posicionar, como se mover ou como entonar a voz. Mesmo as pessoas mais talentosas precisam ensaiar quando mudam de papel ou de local de apresentação.

Na prática, isto é quase totalmente ignorado, e espera-se que alguém que consegue se expressar bem em palavras consiga, sem treino, fazer um grande discurso. Mas o fato é: quanto mais treinamento, melhores serão suas habilidades orais. É importante treinar em qualquer situação possível, afinal a prática leva a perfeição.

 

3º – Gerenciar o tempo durante as falas

Você, por exemplo, recebeu o convite para se apresentar em um evento e preparou uma palestra de 15 minutos, contudo, a organização disse que você precisa ficar ali por 30 minutos… ou o contrário, você se preparou para 30 minutos, e pediram para acelerar e terminar em 15. Até mesmo em uma reunião em sua empresa, que se supôs que demoraria uma quantidade especifica de tempo, e tomará mais ou menos que o esperado. O primeiro passo a tomar é analisar o que é essencial em sua fala, o que realmente será um diferencial no para a mensagem que pretende transmitir.

É fundamental ainda mencionar que, independentemente do quão incrível seja a sua mensagem, não ultrapasse o tempo que há disponível; e no caso de uma conversa, não transforme um diálogo num monólogo. Dê a oportunidade do outro responder e interagir, e respeite o tempo que há para aquilo, afinal é deselegante querer roubar todo o tempo para si.

president-1822449_1920

4º – Tente utilizar de algumas frases de efeito.

As pessoas tendem a lembrar de frases fortes, de efeito, e associar estas as pessoas em questão. Use esta estratégia você também e trabalhe com alguns pontos fortes em suas falas. Desta forma, seu discurso será mais facilmente memorável para o expectador. Contudo, cuidado para não tornar sua fala como uma junção de frases feitas. Tente inserir as frases de forma fluida, e preencha os espaços com comentários diversos.

 

5º – Não transforme sua fala em um discurso decorado

Quando estiver falando, tente tornar sai história o mais honesta e pessoal o possível, pois as pessoas gostam da sensação de identificação, das vulnerabilidades e falhas. São estes momentos que tornam nosso discurso mais humano e acessível, e que tornam a vinculação pessoa-pessoa mais intensa. O cliente, no momento de sua captura, apreciará muito mais a sensação do vínculo com você, pessoa, do que com o empresário enquanto figura impessoal. Nestes momentos, contar um pouco sobre quem você é além do espaço de trabalho pode ser peça chave para a vinculação.
one-against-all-1744093_1920

6º – Nem tudo é sobre você

 

Apesar da importância do seu discurso, tenha em mente que nem sempre abordar sua biografia ponto aponto vá ser atraente ao seu cliente, e que mesmo sendo importante mostrar um pouco de você na captura, sua história não é o centro do negócio. Um bom equilibrio entre o pessoal e profissional é fundamental para o estabelecimento do vínculo comercial.