Seu cônjuge ou parceiro de vida é provavelmente o parceiro mais importante que você terá em seu negócio.

 

Há alguns anos, tive a oportunidade de conhecer o empreendedor por trás da Starbucks, Howard Schultz, quando ele falou para um grupo de empresários no sul da Califórnia. Schultz estava em turnê em apoio de seu livro. Ele deu uma palestra preparada, descrevendo como no final dos anos 2000 ele afastou a Starbucks de sua crise de expansão excessiva e perda de identidade. Ele falou sobre recuperar sua função de CEO, fechar centenas de lojas e renovar centenas de outras, e como um dia ele fechou todos os 7.100 locais dos EUA por três horas para que os baristas pudessem obter um curso de reciclagem sobre como fazer o café expresso perfeito. Em vez de se dedicar ao crescimento, a Starbucks voltou a ser um bom lugar para relaxar e tomar uma boa xícara de café.

Foi uma ótima história, mas soou como um comunicado de imprensa – faltava franqueza. Não se conectou com empresários nas trincheiras. Eu queria ouvir seus conselhos sobre como ser um empreendedor melhor e sabia que não era o único.

Depois da palestra, Schultz fez uma sessão de perguntas e respostas. A última pergunta finalmente provou ser a certa para fazer Schultz se abrir. Um homem se levantou e disse mais ou menos: “Schultz, eu realmente admiro você. Você tem uma história incrível e um ótimo produto que eu compro todos os dias. Mas quando você acabou de falar sobre a luta quando a Starbucks caiu em tempos difíceis, eu não consegui me relacionar. Afinal, você tinha US$ 1 bilhão em seu bolso, enquanto o restante dos empresários nesta sala está com dificuldades. Estamos tentando descobrir como fazer a folha de pagamento e alimentar nossas famílias ao mesmo tempo. Então, Sr. Schultz, eu não posso me relacionar com você”. E então ele disse obrigado, virou-se e sentou-se.

A sala ficou em silêncio.

Schultz atravessou o palco e disse àquele homem: “Eu sou exatamente como você. Deixe-me compartilhar uma história.”

O bilionário CEO tornou-se o Schultz de 30 anos atrás, um empreendedor de iniciante como o resto de nós. Em 1981, Schultz era apenas mais um garoto do Brooklyn em busca de um descanso, trabalhando para uma fabricante sueca de máquinas de café. Quando chegou a Seattle, fez uma visita de vendas à Starbucks e decidiu naquele dia que queria trabalhar para a Starbucks.

Ele eventualmente persuadiu os fundadores a contratá-lo como um cara de marketing, mas depois que os proprietários recusaram a ideia de instalar um bar expresso, ele se mudou para a Europa e adquiriu os direitos de uma marca de café. Ele retornou a Seattle, procurando arrecadar dinheiro para abrir seu primeiro café na cidade. Ele trabalhava sem pagamento e sua esposa Sheri estava grávida do primeiro filho.

Seu sogro voou para a cidade e pediu-lhe para sair para uma caminhada. Ele disse a Schultz: “Minha filha está grávida de sete meses e seu marido não tem emprego, apenas um hobby. Eu quero te pedir de maneira sincera, com respeito real, para conseguir um emprego.”

Schultz foi para casa com sua esposa e contou-lhe sobre a conversa, dizendo que ele achava que provavelmente deveria desistir e conseguir um emprego de verdade. Então ele perguntou a Sheri o que ela pensava.

Sheri disse a Schultz que eles estavam juntos, que ela acreditava nele, que tinha certeza de que ele conseguiria levantar o dinheiro para o café e que ele não deveria desistir. Isso era tudo que ele precisava ouvir. Era um risco enorme, quase irresponsável, mas ele conseguiu o financiamento e, alguns anos depois, adquiriu a Starbucks.

O que eu percebi naquele momento foi um grande momento “aha” para mim: porque eu tinha a ideia de negócio ou o título fantasia, eu achava que era a pessoa mais importante em cada empresa que eu comecei. Mas eu aprendi que a pessoa mais importante da empresa era a pessoa pela qual eu vinha para casa todos os dias.

Esta pessoa era quem me ouvia. Ser um empreendedor pode ser um trabalho muito solitário. Muitas vezes parece que você não tem ninguém para conversar. Então, o que você faz? Você vai para casa e “desabafa” para o seu parceiro.

O trabalho de ser cônjuge, membro da família ou melhor amigo de um empreendedor não é fácil. Essas pessoas passam pelas vitórias e derrotas ao nosso lado. Às vezes, eles correm tanto risco financeiro quanto nós. E muitas vezes, nós os tomamos como garantidos.

Como Schultz, aprendi que empreendimentos de sucesso começam em casa. O primeiro e mais importante trabalho de qualquer empreendedor é entrar na mesma página que seu cônjuge ou parceiro. Se vocês não estiverem de acordo, haverá apenas dois resultados possíveis quando as coisas ficarem difíceis: o negócio ou o relacionamento será prejudicado.

Abaixo estão as coisas que você precisa fazer para garantir que você e seu parceiro estejam na mesma página:

 

Quanto risco financeiro você está disposto a assumir? Se você está lançando um novo negócio, provavelmente está usando seu próprio dinheiro. Você e seu cônjuge precisam concordar quanto você está disposto a arriscar na busca de seu sonho.

 

Quanto tempo eles permitem que você se comprometa? Para lançar e construir um negócio de sucesso, há momentos em que você terá que se comprometer com sua empresa primeiro e com sua família depóis, além de tudo o mais. Isso não significa que sua família seja menos importante para você. Isso significa que, por um período de tempo, vocês dois concordam que isso é algo em que você precisa mergulhar fundo no interesse de seu futuro compartilhado.

 

Quanto seu parceiro quer saber ou estar envolvido no negócio? Ser um empreendedor pode ser um trabalho solitário. Há certas coisas que você pode não querer compartilhar com seus investidores e algumas questões que precisam ser mantidas longe dos funcionários ou amigos. Então você vai para casa e desabafa. Mas provavelmente há um limite para o quanto sua esposa e sua família querem ouvir sobre isso; saiba onde é essa linha vermelha.

 

Não importa o quão compreensivo seja o seu parceiro de vida, é preciso prepará-lo para os desafios que você enfrentará na construção do seu negócio. Mais importante, você precisa estar alinhado em relação a quanto você está disposto a arriscar, quanto tempo você pode comprometer e qual estratégia de comunicação funciona melhor para vocês.

 

Imagem cortesia: Pixabay