Está estudando sobre as estratégias dos grandes CEO’s, e acha que esta é a melhor maneira de aprender? É certamente algo valioso, mas há mais a ser aprendido com erros dos CEO’s do que com seus acertos. Aqui está o porquê.

A análise de CEO’s de sucesso acaba se tornando limitativa por dois motivos: Primeiro, os CEO’s bem-sucedidos fazem tantas coisas bem que, muitas vezes, é difícil descobrir o que devemos imitar, inspirar e descartar. Em segundo lugar, as pessoas geralmente se concentram na característica mais idiossincrática de um CEO, como o temperamento de Steve Jobs ou o talento de Richard Branson. Eles concluem que isso deve ser o que o tornou efetivos. Muitos CEO’s conseguem, apesar de suas peculiaridades, conseguir sucesso com bastante esforço e trabalho duro; mas as pessoas não veem todo o trabalho que levou a suas conquistas.

Em vez disso, examinar os erros dos CEOs é um esforço mais frutífero. A natureza do papel do CEO torna muito mais fácil aprender com falhas do que sucessos.

Os CEOs não só precisam determinar a direção estratégica da organização, mas também garantir que todos estejam constantemente tentando progredir nela. Mesmo com esse destino claro, há muitas decisões que os CEOs devem tomar ao longo do caminho – e há muito espaço para o erro. Parte do trabalho do CEO é compreender o que nos aguarda no futuro, na medida do possível, e identificar quaisquer problemas que possam afetar o negócio. Então, é claro, ele ou ela precisa tomar medidas corretivas e se antecipar aos problemas da melhor forma que puder.

Isso é semelhante ao capitão de um navio que está constantemente olhando para o nevoeiro para evitar obstáculos. A navegação básica do navio é bastante fácil e bem compreendida. O que torna o trabalho desafiador são as mudanças climáticas e as mudanças de rota, que fazem com que o caminho previamente traçado precise ser rapidamente repensado e recalculado, de modo a chegar ao objetivo, ou apensar criar uma nova meta que se adeque as necessidades do local.

Quando você avalia um capitão ou alguém em posição superior, é difícil saber o que é o maior fator determinante para que aquela pessoa esteja em posição de destaque: é o seu chapéu de sorte ou anos de experiência que contribuem para o sucesso dele? As barreiras que ele evitou habilmente ou os desastres que ele evitou podem nunca aparecer.

Por outro lado, suas falhas são muito mais reveladoras. É mais simples examinar um CEO que navegou sua empresa diretamente em um iceberg e figura como evitar esse erro particular.

Isso é semelhante ao trabalho do CEO. Há certamente um amplo material, em todos os setores, de CEOs que falharam ao longo de sua jornada devido a problemas pessoais, decisões comerciais precárias, atos criminais ou outros motivos. Basta olhar para os recentes desempenhos do CEO, como o de Travis Kalanick de Uber. Apesar do bom desempenho e rendimento da empresa, existem pecados cometidos pelos CEO’s que podem ser tão, ou mais, importantes que seu sucesso.

É difícil olhar para Mark Zuckerberg ou Jeff Bezos e recriar o que os fez ter sucesso. Estudar os erros que outros CEO’s fizeram é a melhor maneira de evitar repetir seus erros. Isso também o ajudará a ser um líder melhor.

 

Imagem cortesia: Pixabay