Muitas vezes, as empresas falham. Se você é um líder ou presidente de uma corporativa, você deve aceitar o fato de que, em algum momento, você precisará fechar sua empresa, ou deixar seus funcionários seguirem, e finalmente aceitar a derrota. Todos nós ouvimos as estatísticas que mostram que cerca de metade das empresas não conseguem passar a marca de cinco anos. Para as empresas em fase de arranque, a percentagem é muito maior.

Uma coisa comum para os jovens criadores de empresas é que, no momento em que seus ambiciosos planos começam a falhar, ao invés de parar, recuar e analisar, muitas vezes a insistência em uma postura errada, ou apenas a incapacidade de admitir que algo não deu certo é o suficiente para arrastar e aumentar o prejuízo e danos que uma empresa pode causar. Recuar e repensar quando algo dá errado é essencial para que você consiga reorganizar e reverter, ou apenas não alongar um sofrimento desnecessário.

 

Esteja preparado para falhar.

 

Estatisticamente falando, quando você inicia seu primeiro negócio, você já falhou. Se você olhar para uma falha potencial como uma oportunidade, dificilmente você converterá este erro em algo não-danoso. O maior erro da maioria dos empresários em seus primeiros negócios é ter a crença de que serão bem-sucedidos sempre. Nunca lhes ocorre que talvez, a primeira grande empreitada comercial possa falhar.

 

Tome responsabilidade.

 

Como empresário e líder, você é responsável por todos os aspectos de uma empresa. Isso inclui sucesso e falha. Ao ser o único que tem que dizer aos parceiros de negócios e aos funcionários que, sob sua liderança, você está saindo do mercado é assustador. Se você tentar fugir dessa responsabilidade, levará muito tempo para se recuperar por postergar o inevitável.

Ser responsável por um setor não é o mesmo que ser responsável por uma empresa. Como líder, você deve entender isso. Ser responsável significa que você é responsável, e está disposto a aceitar os resultados ou resultados de um projeto ou atividade.

Mas a responsabilidade vai muito mais longe. Existe ainda aquela voz que diz em sua mente: “Eu sou a pessoa que deve fazer isso acontecer”, seja ela decorrente de sua crença ou porque seu trabalho exige isso de você, ou há alguma força social obrigando você a essa obrigação.

 

Não é sobre você e não é pessoal.

 

O fato de você não saber como resolver algum problema específico ou descobrir como gerar lucro em alguma ideia, não significa que você como pessoa seja uma falha. Você pode ter feito algumas escolhas ruins, mas você não sabia disso quando as executou. Lembre-se, nem todas as falhas do mundo são de sua responsabilidade direta, mas como líder de uma empresa, estas falhas demandam sua atenção. Por vezes, recuar e solicitar a ajuda de um especialista será bem menos danoso que insistir em resolver algo por conta própria.

 

Aprenda suas lições e continue.

 

Se a sua empresa não puder lucrar e continuar perdendo dinheiro por um longo período de tempo, não tem como se entender. Se você já tentou planos de A à Z e você está sem ideias; então talvez seja a hora de fechar o negócio. Quanto mais demorar o progresso de manter uma empresa moribunda, mais doloroso será. Não estou dizendo para desistir facilmente, mas para avaliar e entender quando você esgotou todas as boas opções.

 

A falha é um obstáculo, não o fim.

 

Quando se trata de aceitar responsabilidades, você deve entender uma coisa: você não é a primeira pessoa (nem será a última) que precisou encaminhar funcionários para o departamento pessoal. Levante-se. Comece de novo. Minimize o risco de tomar decisões ruins no futuro, estabelecendo metas mais viáveis e lembrando: sua próxima equipe será mais forte. Porque você será mais forte e mais sábio.

Tente novamente, falhe novamente. Faça melhor.

 

Imagem cortesia: Pixabay