E o que fazer sobre isso.

 

Empresários são empreendedores. Pessoas que desejam construir um negócio, balançar um setor do mercado ou simplesmente ser seu próprio patrão. A empolgação de perseguir o próximo grande sucesso leva algumas pessoas a se tornarem “empreendedores em série”, algo semelhante a um verdadeiro problema comportamental.

Além disso, algumas características de empreendedores de sucesso, como comportamentos de risco, são indicativas de alguém potencialmente em risco de se tornar viciado em substâncias e comportamentos, de acordo com especialistas do American Addiction Centers.

 

Empreendedorismo e Saúde Mental

Empresários são treinados para ignorar as necessidades pessoais e seu bem-estar, medidos em relacionamentos significativos e autênticos, satisfação e felicidade geral da vida. A mensagem que eles internalizaram dos empresários mais famosos do campo é a de que sem sofrimento não há ganhos. Em outras palavras, não é exagero que a estrutura empresarial básica possa potencialmente levar ou exacerbar problemas de saúde mental, como dependência química e depressão.

 

Potencial de Dependência

O vício é uma condição complexa que é amplamente vista como um envolvimento compulsivo em estímulos recompensadores. Alguém viciado em drogas ou álcool pode estar procurando relaxamento ou esquecimento. E se é possível alguém ser “viciado” em empreendedorismo, a compulsão pode ser ostensivamente perseguir o próximo empreendimento, independentemente de falhas passadas, danos aos relacionamentos ou ruína financeira.

Além do vício, os resultados de um estudo realizado na Universidade de São Francisco sugeriu que quase metade dos empresários experimentou pelo menos uma forma de condição de saúde mental durante a vida. Esta pesquisa documentou que, ao comparar os fundadores de startups à população em geral, eles podem ser:

  • O dobro da probabilidade de sofrer de depressão
  • Seis vezes mais chances de sofrer de TDAH
  • Três vezes mais chances de sofrer abuso de substâncias
  • 10 vezes mais chances de sofrer de transtorno bipolar
  • O dobro da probabilidade de ter sofrido uma internação psiquiátrica
  • O dobro da probabilidade de ter pensamentos suicidas

Muitas pessoas, entre elas alguns empreendedores, lutam com esses problemas, e é importante procurar ajuda. Uma lista de recursos disponíveis está incluída no final deste artigo.

 

Potencial de Dependência Comportamental

É possível que algumas características que podem contribuir para o sucesso empresarial também possam promover um vício, se não houver controle. A obsessão pode ser uma luta para pessoas com esse desafio de saúde mental. Como resultado do foco excessivo nos negócios, na concorrência e no próximo projeto, é possível ignorar a família, a saúde pessoal e a estabilidade financeira.

A compulsão pode ser outro componente essencial da doença, manifestando-se frequentemente na necessidade de iniciar o novo projeto antes de garantir que o negócio atual seja estável e bem-sucedido. Pessoas viciadas em empreendedorismo também podem se frustrar com tarefas não relacionadas ao trabalho.

 

Potencial de Dependência de Substância

Como observado acima, é possível que os empreendedores tenham um risco significativamente maior de abuso de substâncias do que a população em geral. Os empresários geralmente experimentam um nível contínuo e significativo de estresse, podem sentir a solidão e, às vezes, têm um forte medo do fracasso. Como chefe de uma organização, muitas vezes é papel do empreendedor monitorar o comportamento de outras pessoas para garantir que isso não prejudique os negócios, mas é provável que ninguém faça o mesmo por elas. É possível que todos esses elementos possam se unir para criar um ambiente perfeito para o abuso de substâncias.

A natureza potencialmente solitária do empreendedorismo, juntamente com a necessidade de ser visto como forte e bem-sucedido, poderia contribuir para o desenvolvimento de um vício em álcool. Outro motivo pelo qual as pessoas recorrem ao abuso de substâncias é o tratamento de uma lesão. O analgésico pode se transformar de um benefício de saúde para um vício. No Vale do Silício, alguns fundadores de empresas buscam obter uma vantagem competitiva com o uso de estimulantes quase legais e “estimuladores cerebrais”, e é provável que alguns deles logo se encontrem contando com esses estimulantes em detrimento de sua saúde.

 

Imagem cortesia: Pixabay