A verdadeira inovação envolve mais do que vestir roupas da moda: é um investimento significativo de tempo e dinheiro.

 

Quase todas as startups que procuram fazer ondas em seu setor acabarão falando sobre inovação em um ponto ou outro. “Inovação” é aquela palavra mágica que sinaliza a capacidade de uma empresa prosperar e não apenas sobreviver no mundo lotado de startups. E, sim, pode ser fácil falar sobre isso, mas, na verdade, montar uma empresa para obter sucesso inovador é um pouco mais complicado.

Em suma, fomentar a inovação resume-se em reconhecer que todos os recursos alocados à inovação poderiam, no curto prazo, ser melhor alocados em outros lugares. Isto é especialmente verdadeiro para startups, onde cada centavo – e cada segundo – conta.

Para muitas empresas, a inovação é apenas superficial. As empresas criam títulos sofisticados como “diretor de inovação” e jogam dinheiro em um projeto ou dois fracassados para se declararem “inovadores”.

A verdadeira inovação, no entanto, envolve mais do que vestir roupas da moda: é um investimento significativo de tempo e dinheiro.

 

Por que a inovação é tão difícil.

Justificar o custo da inovação para os funcionários preocupados com a segurança no emprego pode ser difícil, porque não há uma maneira real de prever um retorno significativo do investimento. Os membros da equipe também são rápidos em questionar os motivos por trás de novas iniciativas que podem mudar suas descrições de trabalho ou comprometer totalmente esses trabalhos.

Combine essas questões com o custo financeiro associado, e o resultado pode ser apenas um monte de pessoas que estão prestando atenção à inovação sem colocar nenhum trabalho real em prática. O que resta é uma ideia nebulosa que não leva uma empresa a lugar nenhum.

Isso tudo soa assustador, mas não precisa ser. A inovação exige um grande compromisso em tempo e dinheiro – e o sucesso nem sempre é garantido. Mas com as pessoas e sistemas certos, mesmo os fracassos que a inovação às vezes produz podem, em última análise, ser benéficos. A chave é descobrir onde a inovação realmente se encaixa dentro de uma empresa, em vez de apenas abordá-la como uma reflexão tardia.

 

Como incentivar o tipo certo de inovação

Um grande obstáculo que os empreendedores enfrentam quando procuram inovar é descobrir o que essa palavra realmente significa para eles. Para uma empresa, a inovação pode significar a implantação de uma força de vendas de realidade virtual. Por outro lado, isso pode significar usar um Documento Google compartilhado para acompanhar as alterações. A inovação efetiva pode ser muito diferente, dependendo do contexto.

É por isso que é vital estabelecer uma base sólida que apoie o desenvolvimento de novas ideias e soluções dentro de uma empresa. Aqui estão três passos para levar as pessoas e os processos corretos para o seu sucesso inovador:

 

  1. Decida se a inovação é realmente necessária.

Só porque algo está na moda não significa que é certo para todos os empreendedores. A inovação certamente pode ser boa para os negócios, mas apenas se for realmente útil para o modelo de negócios.

Uma das maiores falhas de inovação da história foi a Nova Coca-Cola. Ninguém pediu à Coca-Cola para mudar sua receita, mesmo que estivesse perdendo testes de sabor para a Pepsi. E o que era importante aqui era que a Coca-Cola não conseguiu tirar a lição certa de sua pesquisa e, em vez disso, gastou milhões de dólares em uma nova fórmula e campanha de marketing, apenas para rapidamente voltar ao que as coisas eram.

Em suma: a inovação pela inovação é apenas uma maneira de jogar um bom dinheiro fora.

 

  1. Defenda a inovação ativamente.

Se a inovação é realmente o caminho certo, certifique-se de que sua gerência está fazendo tudo ao seu alcance para promovê-la de dentro. A inovação muitas vezes começa forte e desaparece porque não tem suporte contínuo real. Leva tempo para que novos hábitos ou conceitos sejam aceitos, e geralmente isso acontece quando se tem as pessoas certas para ajudar esses novos conceitos e hábitos a se enraizarem.

A Vodafone, a empresa britânica de telecomunicações, é um excelente exemplo de uma empresa que se esforça para criar campeões cujo principal objetivo é descobrir e definir o que a inovação deve significar para a empresa. O Programa de Inovação da Vodafone é uma rede distribuída de 60 funcionários em toda a empresa cuja principal tarefa é trabalhar diretamente com os clientes e encontrar novas soluções para uma variedade de problemas.

 

  1. Seja tolerante com algum grau de falha.

O fracasso é uma parte inevitável da inovação. A melhor solução geralmente vem somente depois que algumas tentativas ruins foram descartadas primeiro.

Às vezes, criar uma cultura em que a inovação realmente vive significa ter um processo para tentar coisas novas e depois abandoná-las rapidamente se o valor delas não for alcançado. A Nike, por exemplo, adotou uma atitude bem-sucedida de “falha rápida” que incentiva a experimentação e a prototipagem, em vez de punir todas as tentativas que não funcionarem.

 

Investindo nas pessoas certas e criando uma estrutura que incentive a experimentação e a resolução proativa de problemas, toda e qualquer startup pode ajudar a inovação a florescer de uma maneira que realmente faça sentido para aquela empresa em particular.

 

Imagem cortesia: Pixabay