Você precisa fazer o que é melhor para o negócio.

 

É perfeitamente normal que uma pessoa trabalhe em dois ou até três empregos dentro de um ano, saltando de uma organização para outra na esperança de encontrar o melhor emprego. É difícil quando chega a hora de cortar os laços com um funcionário de longa data.

Quando um empregado acha isso adequado, porém, os laços que eles formam com seus colegas de trabalho e líderes tornam-se tão fortes quanto os de uma família. Equipes se levantam nos momentos ruins e celebram juntos nos bons, tudo em busca de uma visão compartilhada.

Infelizmente, às vezes até as melhores parcerias acabam. Um funcionário de longa data começa a discordar da direção da empresa e algumas pequenas divergências se transformam em diferenças irreconciliáveis. Seja um funcionário de um dia ou um cofundador, às vezes até os funcionários mais antigos precisam de uma mudança de cenário.

Use este processo para determinar se um funcionário de longa data estaria melhor em outro lugar:

 

  1. Procure por sinais de falta de visão.

Alguns funcionários de longa data permanecem, apesar das visões incompatíveis, mas a maioria continua a trabalhar para a empresa porque acredita no que está fazendo. Quando começarem a mostrar sinais de desacordos mais profundos, entre rapidamente para determinar se a desconexão é temporária ou mais séria.

O funcionário começou a atrasar projetos ou a enviar trabalhos abaixo de seu padrão normal? O funcionário discorda com mais frequência da liderança ou aborda repetidamente as mesmas preocupações? Os funcionários e suas empresas precisam concordar sobre o que vale a pena fazer antes de concordar com qualquer outra coisa.

 

  1. Tenha uma conversa honesta.

Se o funcionário parece estar legitimamente insatisfeito com a situação, não adie o inevitável. Agende uma reunião o mais rápido possível para discutir o assunto. Talvez o empregado esteja tendo apenas um ou dois meses ruins. Seja qual for o motivo, a única maneira de descobrir a verdade é perguntar diretamente.

Comece a conversa comunicando suas observações, depois sente-se e ouça. Incentive a honestidade – alguns funcionários avessos a conflitos preferem sofrer em silêncio, mas é melhor resolver do que adiar. Se o problema envolver algo diferente da direção da empresa, lide com esse problema sozinho. Se o problema está na visão, vá mais fundo.

A questão é uma parte específica da visão ou a coisa toda se torna irreconciliável? Será que uma única decisão desencadeou essa mudança ou uma série de eventos levou a esse momento? O funcionário tem um ponto que a empresa deve abordar ou a empresa está comprometida com essa visão, independentemente das críticas? As respostas a essas perguntas determinam que tipo de ação o desacordo merece.

 

  1. Considere alternativas.

Dependendo da gravidade do desacordo, ambos os lados podem ficar contentes com uma solução menos séria que a demissão. Talvez o empregado pudesse trabalhar em uma função diferente, ou os projetos que iniciaram o problema pudessem mudar para outro departamento.

Não coloque trabalho extra em outras pessoas apenas para manter um funcionário de longa data. Isso não é justo para ninguém. Em vez disso, procure uma solução em que o funcionário possa continuar a ser produtivo sem entrar em conflito com a mentalidade que iniciou o desacordo. Se tal solução não existir e o funcionário não estiver disposto a ceder, passe para a etapa final.

 

  1. Faça o que é melhor para a empresa.

Como funcionário de longa data, essa pessoa provavelmente é um amigo de confiança e um trabalhador capacitado. No entanto, se ele ou ela tiver desenvolvido um desacordo irreconciliável com a visão da empresa, os dois lados ficariam mais felizes se o funcionário encontrasse outro lugar para trabalhar.

Por mais difícil que seja, lembre-se de que as necessidades da empresa vêm em primeiro lugar. Manter um funcionário que não quer ajudar a empresa a atingir sua meta atual é ruim para todos. O funcionário pode não querer perder o emprego, mas em face de divergências de longo prazo – e com o potencial de que a dissidência se espalhe – faça a coisa certa para todos e demita o funcionário com dignidade.

 

Ninguém quer passar por esse processo. Por mais desagradável que seja, no entanto, às vezes essa é a única escolha. Se essa situação parecer familiar, siga estas etapas para determinar se um funcionário antigo não é mais adequado para a organização.

 

Imagem cortesia: Pixabay