A maioria das pessoas diz que odeiam o conflito, e evitam ao máximo que isto aconteça. Porém, como trabalhamos em empresas plurais (e é esta a beleza em compartilhar a experiência de trabalho com pessoas que possuem pontos de vista diversos), eventualmente acontecerão conflitos entre os membros de uma empresa. Os conflitos podem ser frequentes, e podem acontecer por desde coisas pequenas quando as extremamente relevantes para a dinâmica de seu negócio. Discussões podem acontecer desde por diferentes pontos de vista sobre futebol, como por coisas mais sérias, como por duas pessoas manterem uma visão empresarial diferente.

Você não precisa gostar do conflito, mas você pode aprender a gerenciá-lo e não tentar escapar disso. Aqui estão algumas dicas.

 

  1. Compreenda que grandes conflitos são constituídos por pequenos conflitos.

 

Analisar o conflito é como observar as partes de um boneco de montar. Olhar para o todo e descobrir como ele foi montado é complicado, mas ao observar peça por peça, é fácil conectar todas as partes e aprender como as partes se juntam (ou como o conflito começou).

 

  1. Remova as emoções da situação.

 

As emoções atuam como inflamadores das discussões, como o combustível para o fogo, e faz com que discussões simples acabem crescendo e saiam do controle. Não deixe que drama ou respostas emocionais inflamem a situação. Em vez disto, uma melhor alternativa é seguir o ponto a seguir:

 

  1. Escolha ser generoso.

 

Quem ou o que quer que tenha começado o conflito, dê o benefício da dúvida de que a pessoa levantou os pontos que você não gostou, pois talvez ela tenha as melhores intenções. Em vez de julgar ou culpar, dê um feedback sobre os pontos que desagradaram você, ou de que forma as coisas poderiam ter sido feitas para que se conseguisse um resultado diferente.

 

  1. Compartilhe o contexto com as partes envolvidas.

 

As pessoas serão mais razoáveis em suas reações se tiverem uma imagem mais completa ou um contexto mais completo, que descreva as condições do que levaram a situação a chegar onde chegou, ou porque a atividade (ou a falta de atividade) causou o conflito em questão. Por exemplo, se sua equipe perder por um mês seu alvo de receita, o chefe pode ficar louco caso precise levar esta informação para os superiores. A melhor forma de diminuir o estresse coletivo é apresentar todas as causas que levaram ao baixo resultado, pois por mais que não justifique uma quebra nas metas, ao menos ajuda a explicar o que aconteceu. O contexto pode ser desde terem acontecido algumas falhas no sistema de comunicação da empresa que impediu o contato com clientes, ou até mesmo que os membros da equipe tenham optado por se eximir da responsabilidade sobre seus atos, e por isso os resultados foram abaixo do esperado, cabendo inclusive o desligamento de alguns colaboradores. O contexto é um grande nivelador, e sempre importa.

 

  1. Procure saber dos fatos.

 

Honestamente, os fatos prevalecem. É normal que aconteçam erros, mas não buscar consertá-los é um grande problema. E como errar é esperado, algumas vezes, é mais importante que você mantenha o resguardo e o silêncio em determinadas situações. Não expresse cada pensamento que cruza sua mente. Calmamente, fale sobre a extensão do dano e escolha uma solução que corresponda à gravidade da situação.

 

  1. Esteja disposto a virar a página se e quando a situação for resolvida.

 

Acostume-se ao fato de você trabalhar em um ambiente apaixonado. E esteja disposto a dizer “eu entendo”, o que não impede você de dizer “eu concordo” ou “eu não concordo” antes de ter certeza de onde você está. E então, continue. É importante virar a página e seguir em frente depois de resolver os problemas.

 

Imagem cortesia: Pexels