Vocês têm “bicos” em vez de um trabalho? Você se descreveria como freelancer, empreiteiro independente ou alguém que trabalha por conta própria?

Para um número cada vez maior de pessoas, a resposta a pelo menos uma dessas perguntas é sim.

Uma pesquisa descobriu que os trabalhadores que adotam este estilo de trabalhp geralmente são mais felizes e saudáveis do que aqueles que são tradicionalmente empregados. Mas se você está entre eles, provavelmente você não tem a rede de segurança tradicional que nos referimos como benefícios para funcionários – coisas como um plano de seguro de saúde subsidiado pelo empregador, um plano de aposentadoria, um seguro e outros. E essa falta de benefícios pode ter consequências financeiras. Um em cada três trabalhadores independentes pesquisados diz que o planejamento para aposentadoria é um desafio, e 40% expressaram preocupação com seus benefícios – os cuidados de saúde em particular.

A solução – quer você continue ou não como um trabalhador independente a longo prazo – é encontrar uma maneira de juntar seu próprio portfólio de benefícios.

Aqui está o que você precisa fazer:

 

Comece com a saúde

 

Mas isso não significa que você deveria contratar um plano de saúde neste exato momento. Primeiramente, diferentemente de outros locais, o Brasil conta com um sistema de saúde pública — e não vamos entrar no mérito da agilidade ou morosidade deste — funcional e que atende de forma indistinta.

Porém, apesar do serviço público, mais e mais pessoas buscam serviços privados de saúde para atender suas demandas — e este costuma ser um ponto a ser considerado no momento da escolha de um emprego formal. O plano de saúde pode parecer uma opção incrível, mas todos os anos, mais e mais pessoas tem buscado judicialmente formas de reembolso por itens não assegurados por seu plano, ou ainda, reclamando pela demora para atendimentos ou procedimentos.

É sabido que com o dinheiro “em mãos”, o poder de barganha aumenta consideravelmente, e que na maioria das vezes, o valor pago em longo prazo em um plano de saúde não cobrirá os possíveis gastos que você terá. Por isso, caso você deseje um atendimento particular, talvez seja mais interessante que você monte um fundo particular e guarde o dinheiro de seus atendimentos.

 

Em seguida, monte um fundo de risco

 

Você pensaria que a aposentadoria seria o próximo na lista, mas o maior risco que um trabalhador autônomo corre é de não poder trabalhar porque está doente ou ferido – e por isso não poder pagar uma conta.

Você pode se resguardar contra esta possibilidade, certificando-se de que você tenha pelo menos algum dinheiro guardado como economia de emergência. Uma maneira de aumentar essas economias é transferir automaticamente uma porcentagem de seus ganhos em poupança. Você pode configurar transferências semanais ou mensais automáticas com seu banco, mas se você for pago em uma forma irregular, isso pode te levar a problemas com gastos descobertos.

 

Finalmente, lide com aposentadoria

 

Você não precisa de um emprego a tempo integral para financiar uma conta de aposentadoria, e as opções dos freelancers são muitas. Uma das opções é buscar o Instituto Nacional de Seguridade Social e pagar de forma independente a sua contribuição, decidindo assim o valor a ser arrecadado mensalmente para que você receba no futuro.

Outra, caso você não deseje ser restrito a previdência pública é adotar junto a um banco um plano de previdência privada como complemento ou aporte principal de renda. Além disso, há ainda a possibilidade de realizar investimentos particulares, como na poupança, para assegurar um rendimento futuro.

 

Imagem cortesia: Pixabay