Falar com as pessoas continua sendo a melhor maneira de se comunicar, mesmo que a tecnologia permita evitá-lo.

 

O trabalho remoto é mais fácil do que nunca devido à Internet, às ferramentas de comunicação digital e ao modelo de negócio de software como serviço. Claro, você ainda pode vender produtos on-line a partir do “conforto” de um cubículo, mas você pode fazer o mesmo com um laptop em casa ou no café local.

A tendência de trabalho remoto tornou-se cada vez mais popular ao longo dos anos e agora é tão difundida que empresas como Dell, Amazon, Apple, GitHub e American Express permitem que seus funcionários trabalhem remotamente (dependendo da posição) e 43% dos funcionários americanos gastam pelo menos algum tempo trabalhando remotamente. Equipes remotas tornaram-se comuns não apenas por causa do fator conveniência, mas porque as pessoas que trabalham remotamente são geralmente mais produtivas do que suas contrapartes no escritório.

Mas a vida desassistida em um escritório central não é boa nem fácil. Os membros da equipe remota criam alguns desafios administrativos sérios que você provavelmente não encontraria se esses funcionários estivessem no escritório com você diariamente. Infelizmente, muitas dessas dificuldades e as regras de gerenciamento que devem ser associadas a elas raramente são discutidas entre os membros da equipe. Para quebrar esse silêncio, aqui estão três regras tácitas de gerenciamento de equipes remotas que você e todos os outros líderes devem aderir.

 

  1. Não escreva conversas importantes

Má comunicação é geralmente desenfreada com mensagens de texto. Segundo pesquisas, as experiências ajudam as pessoas a determinar o significado de uma mensagem de texto. Isso faz sentido quando você pensa sobre isso. Com o texto, o destinatário não pode levar em consideração o tom de voz, a cadência ou a expressão corporal. Eles têm que depender do que essa frase normalmente significava em conversas passadas.

Se um chefe manda mensagens para o funcionário, por exemplo, “como está indo esse relatório? Estou animado que você termine com isso em breve”, uma pessoa pode pensar “Bom! Meu chefe está animado em ver o trabalho que fiz”, enquanto outro funcionário pensa: “Claro, meu chefe não confia em mim para que o relatório seja concluído no prazo”.

Para evitar falhas de comunicação como essa, deixe conversas importantes para uma ligação telefônica ou uma vídeo chamada em vez de enviá-las rapidamente por texto. Isso não só irá esclarecer as expectativas e romper as barreiras da falta de comunicação, mas criará um diálogo significativo sobre assuntos especialmente importantes.

 

  1. Respeite o tempo pessoal de seus funcionários

Nada mata mais rapidamente a satisfação dos funcionários do que fazer com que as pessoas trabalhem horas extras consistentemente a cada semana. Mas muitas horas extras não apenas matam a satisfação dos funcionários; matam a produtividade também. Pesquisas mostram que a produtividade cai drasticamente em funcionários que trabalham consistentemente 50 horas por semana. Após 55 horas, os trabalhadores são praticamente inúteis.

Como era de se esperar, a sobrecarga de funcionários remotos é muito mais comum do que o excesso de trabalho nos funcionários do escritório. Existem duas razões principais para isso. Primeiramente, os funcionários remotos geralmente não agendam horas ou fazem isso de forma irregular, dificultando saber quantas horas sua equipe está realmente trabalhando. Em segundo lugar, vários fusos horários podem dificultar saber quando as pessoas estão no horário, já encerram o dia ou estão em um intervalo.

Um risco de gerenciar funcionários remotos está, sem querer, é forçar sua equipe e acabar matando a produtividade. Por esse motivo, use notas físicas, lembretes digitais ou software de controle de tempo para garantir que você respeite o tempo pessoal de sua equipe remota. Isso é ainda mais crítico quando os fusos horários são drasticamente diferentes.

 

  1. Programe dias no escritório para criar confiança

Gerenciar uma equipe remota geralmente significa nunca encontrar sua equipe pessoalmente, mas isso não precisa, e não deveria ser verdade. Em geral, os funcionários trabalham mais quando conhecem, gostam e confiam nas pessoas com quem trabalham. Infelizmente, o oposto também é verdadeiro. Conforme relata pesquisas especializadas, os trabalhadores menos engajados têm 37% a mais de absenteísmo, cometem 60% mais erros e são 18% menos produtivos do que os trabalhadores confiantes e engajados. Vale à pena manter seus funcionários envolvidos no que estão fazendo. Permitir que sua equipe se vincule pessoalmente é uma ótima maneira de manter todos interessados.

Isso não precisa acontecer com tanta freqüência, pois pode lhe custar muito caro. Considere trazer membros da equipe para o escritório uma vez a cada seis meses ou até mesmo apenas uma vez por ano. Se parte da equipe vive em nível internacional, tente recriar o efeito para essas pessoas, exibindo-as por meio de uma chamada de vídeo durante discussões importantes. Quando as pessoas podem se unir a seus colegas de equipe, isso aumenta a confiança entre elas. Eles são mais produtivos, experimentam menos falhas de comunicação e muitas vezes se tornam mais leais à empresa.

 

Os funcionários remotos são geralmente mais felizes e mais produtivos do que os funcionários do escritório – presumindo que você os administre corretamente. Se você não fizer isso, eles podem ser menos leais, mais frustrados e mais sobrecarregados. O trabalho remoto é o que você, o chefe, faz dele.

 

Imagem cortesia: Pixabay