Se você tiver os motivos certos, siga estas 10 recomendações para levar seu produto ao público.

 

Por que você quer criar um aplicativo para dispositivos móveis? Você quer aproveitar a onda de outros empreendedores ou se deparou com um problema que você acha que pode resolver? A resposta a essa pergunta determinará se seu aplicativo será bem-sucedido ou não.

Aqui está um guia para você começar, mas note que pode não funcionar para todos. Isso se baseia em minha experiência de trabalho de mais de três anos com empreendedores, ajudando-os a criar e comercializar seus aplicativos móveis. Tire dela o que melhor se adequar à sua estratégia ou siga-a até o fim. A parte importante é começar.

 

Etapa 1: Tenha uma ideia ou um problema para resolver.

Se você já tiver uma ideia de aplicativo, vá para a etapa dois. Se não, continue lendo. Quer criar um aplicativo, mas não tem uma ideia de aplicativo? O que você realmente precisa é de problemas, e eles estão em todo lugar!

Empresários de sucesso resolvem problemas de uma forma que não poderíamos imaginar. Quando você olha em volta, todos os produtos e serviços que você usa foram criados para resolver um problema. Você queria ir de um lugar para outro mais rápido, você tem um carro. Você queria ir de um país para outro mais rápido, você tem aviões.

Então, procure por problemas em sua vida diária e liste cada um deles. Uma vez que você tenha uma lista exaustiva, comece a pensar em como resolvê-los e utilize os que fazem mais sentido.

 

Etapa 2: Identifique uma necessidade.

A validação irá provar que existe uma demanda para o seu aplicativo. Você pode validar sua ideia usando o planejador de palavras-chave do Google para procurar o número de pessoas que procuram o que você está tentando fazer. Você também pode criar uma página de destino que destaque sua ideia de aplicativo e busque o interesse do usuário por meio de uma inscrição por e-mail.

 

Etapa 3: Exponha o fluxo e os recursos.

A validação da sua ideia de aplicativo significa que você tem algo que as pessoas querem usar. Agora é a hora de detalhar seu produto em um documento.

Ao colocar sua ideia no papel, lembre-se de ser o mais detalhado possível. Inclua o fluxo de como o usuário navegará no aplicativo, bem como todos os recursos previstos. Isso ajudará seu desenvolvedor a entender claramente suas expectativas.

 

Etapa 4: Remover recursos não essenciais.

No fluxo e no documento de recursos que você preparou, comece a examinar atentamente os recursos que você pode remover. Ofereça apenas o valor principal da sua ideia de aplicativo. Não crie recursos na primeira versão que sejam “legais” e sempre possam ser adicionados posteriormente com uma atualização. Isso ajudará a reduzir os custos iniciais de desenvolvimento e vai ajudá-lo a chegar ao mercado mais rapidamente.

 

Etapa 5: Coloque o design em primeiro lugar.

Eu ouvi muitos empresários dizendo que querem um design muito básico e querem se concentrar em apenas desenvolver um aplicativo. Eles estão tão errados! O design não é apenas o aspecto da sua aplicação, mas sim a forma como um utilizador irá experimentar a aplicação. Vinod Khosla, da Khosla Ventures, explica melhor: “O design é uma maneira de tornar a tecnologia útil”. Então, procure um desenvolvedor que coloque o design (experiência do usuário e gráficos) em primeiro lugar.

 

Etapa 6: Contrate um designer/desenvolvedor.

Procure uma empresa de desenvolvimento que tenha um grande talento em design e uma sólida equipe de desenvolvimento. Ao contratar um desenvolvedor, verifique sua credibilidade e os aplicativos que eles criaram. Se você realmente gostou de um aplicativo criado por ele, provavelmente ele é o ideal para o seu produto.

 

Etapa 7: Crie contas de desenvolvedor.

Você deve se inscrever em uma conta de desenvolvedor com as respectivas lojas de aplicativos para poder vender seu produto por meio de sua plataforma. Você tem a opção de se registrar como indivíduo ou como empresa, se já tiver uma.

 

Etapa 8: Integre a análise.

O Google Analytics ajuda você a acompanhar os downloads, o envolvimento dos usuários e a retenção de seu aplicativo para dispositivos móveis. Certifique-se de usar ferramentas como o Flurry, que está disponível gratuitamente, e o Localytics, que tem uma versão gratuita e paga.

 

Etapa 9: Obtenha feedback rapidamente e improvise.

Depois que seu aplicativo for publicado na loja de aplicativos, o primeiro conjunto de uso e comportamento dos clientes fornecerá informações sobre como melhorar e aprimorar seu produto. Os aprimoramentos e as alterações são constantes, portanto, fique de olho no feedback do usuário e continue criando.

 

Etapa 10: Introduza recursos.

Você criou uma versão com recursos limitados e apenas a oferta principal. Agora é a hora de avaliar e apresentar os recursos restantes que foram deixados de fora na versão inicial. Você saberá, por meio de análise e feedback, quais os recursos são mais relevantes.

 

Essas etapas não são sacrossantas, mas sim uma diretriz para criar seu aplicativo da maneira mais eficaz com base na minha experiência. Quando estiver pronto para começar, você também deve saber que criar um aplicativo para dispositivos móveis é a parte mais fácil. Conseguir clientes é onde está o desafio.

 

Imagem cortesia: Pixabay